.+

quinta-feira, 27 de outubro de 2016

`Eu orei como nunca havia feito antes´, diz mulher liberta do Boko Haram




Uma mulher cristã, que foi capturada mantida por cinco semanas em um cativeiro do Boko Haram no norte da Nigéria falou sobre a sua alegria em ter sido adotada por uma família de acolhimento, após passar um tempo em um campo de refugiados interno.

Mercy James, de 23 anos, vivia em Gyoza, no nordeste do estado de Borno da Nigéria, e foi sequestrada juntamente com quatro outras mulheres, em Junho de 2014, quando os terroristas do Boko Haram assumiram a cidade e declararam que a área seria parte de um califado islâmico. Ela foi separada de seu pai e presume que ele tenha sido morto por se recusar a renunciar à sua fé cristã.

"Meu primeiro dia foi um inferno", disse à Portas Abertas. "Eu chorei durante todos os dias e todas as noites. Orei como nunca havia feitos antes e pedi a Deus para me dar coragem".

A Missão Portas Abertas encontrou Mercy no ano passado, quando ela já havia de viver em um campo interno para refugiados (IDP).

"Ela estava desamparada, ferida e profundamente traumatizada", disse um representante daPortas Abertas, que a procurou para ajudá-la com aconselhamento, despesas médicas, dinheiro e incentivo por meio de cartas enviadas por outros cristãos.


Agora, Mercy não mora mais no campo de deslocados mas vive com uma família que a acolhei. A Missão Portas Abertas disse que "no contexto de desconfiança e isolamento, muitas vezes experimentado por ex-cativos do Boko Haram, esta é uma situação extraordinariamente afortunada".

Uma lesão grave que Mercy teve em sua sua perna, durante um bombardeio aéreo, foi curada.

Com o apoio da Missão Portas Abertas, Mercy iniciou o seu próprpio negócio de costura e se tornou uma microempreendedora bem sucedida.

"A transformação foi tão radical, que era difícil de reconhecê-la", escreveu um funcionário daPortas Abertas.

"A máquina de costura que ganhei e o apoio financeiro que recebi me ajudaram muito", disse Mercy à Portas Abertas. "Eu comecei o meu próprio negócio e agora tenho uma loja. Muitas pessoas trazem suas roupas para que eu costure. Agora eu posso suprir as minhas necessidades e ajudar a minha família [adotiva]".

A Portas Abertas, em conjunto com os visitantes internacionais, recentemente fez uma visita a Mercy, com o objetivo de orar com ela, incentivá-la e entregar cartas de apoio de enviadas por cristãos de diversas partes do mundo.



"Estou muito feliz, porque eu sei que não estou sozinha e que outros crentes lá fora estão orando por mim", disse Mercy.

Um dos remetentes enviou também uma pulseira para Mercy. O adorno também faz menção a um versículo bíblico.

"Fiquei profundamente tocado pela pulseira que recebi", disse ela à Portas Abertas. "Embora seja apenas uma pulseira, tem um significado mais profundo. Todas as cores nela falar sobre o Salmo 23".

Ela acrescentou: "Eu já me senti oprimida, mas agora meu coração se enche de alegria, recebendo a Portas Abertas aqui novamente. Palavras não podem expressar a alegria e a paz que eu estou sentindo. Tudo que eu posso dizer é que oro para que Deus continue a abençoar essa Missão e todos aqueles que estão lá fora, orando por nós no norte da Nigéria".

"Para os outros crentes que estão sendo perseguidos por causa de Cristo, o que eu tenho que dizer é: mesmo que vocês andem pelo vale da sombra da morte, não temam mal algum, porque Deus está com vocês. Se Deus me libertou, Ele vai fazer o mesmo com vocês".Fonte: Guia-me / com informações do Christian Today 


Nenhum comentário: